Delivery de picolé – A empresa Diletto lança serviço inédito no setor

 

Começou a funcionar o Diletto Delivery, mais uma novidade da empresa para atender e se aproximar de seus clientes.

O Diletto Delivery foi criado a partir de pesquisas realizadas com seus consumidores que declararam que adorariam levar os picolés para casa ou escritório sem causar o derretimento do produto. Uma embalagem de isopor com 6 picolés e gelo seco, conserva o produto em temperatura ideal, garantindo a qualidade já conhecida da marca.

A princípio, o serviço atenderá somente a cidade de São Paulo de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30. Outra novidade, é que além dos doze sabores presentes em todos os pontos de venda, estão disponíveis também o Framboesa (já fora de linha) e as edições especiais.

O pagamento pode ser efetuado com dinheiro, cartões débito e crédito Mastercard, Visa e Amex. A empresa disponibiliza também condições especiais para pedidos acima de 60 picolés.

PEGN – Empresas inovam com serviço de delivery para produtos femininos

Com a correria empresas inovam com a entrega de produtos diferenciados. A loja de roupas vai até os clientes, exclusivo para o publico feminino. A cliente fica 48 horas com as peças para experimentar. Muito útil para mulheres que não tem tempo para ir até a loja. As camisas são o forte do negócio, representam 80% do negócio. Hoje a empresa tem 300 clientes ativos no sistema de delivery. O sistema funciona por indicação, cliente indica cliente mediante cadastro detalhado. O faturamento da loja é em torno de 40mil reais por mês. A taxa de entrega não é cobrada.

Além de roupas, o sistema de delivery funciona também com acessórios, colares, pulseiras, anéis entre outros. Pulseiras são os itens mais pedidos. O clientes acham que facilita muito, pois não perde tempo indo para a loja e podem experimentar com as roupas do guarda-roupa.

Serviços profissionais em informática doméstica

Técnico de manutenção de computador em domicílioA ideia de chamar um Técnico de Informática Delivery parece até simples, mas será que dá para viver disso? O serviço em domicílio chega definitivamente ao mercado de luxo: tudo em nome da comodidade dos clientes vips. Tudo começou com as pizzas, depois vieram remédios, sanduíches, refeições variadas, livros, CDs… até chegar ao estágio atual de sofisticação do serviço de entrega em domicílio, também conhecido por delivery.

Acreditamos que sim. Pelo menos teoricamente, qualquer tipo de serviço pode ser prestado no domicílio do cliente. Obviamente não é um tipo de serviço barato, porque atendimento “vip” custa dinheiro, certo?

Acreditamos que haja aí um bom mercado à ser explorado, mas no nosso entendimento, aquele que vai prestar esse serviço precisa se preparar e não apenas tecnicamente, mas em outras áreas também como boa educação, boa saúde e apresentação, bom senso, se possível fluência em outras línguas, etc.

Isso talvez seja novidade aqui no Brasil, mas desde meados dos anos 90 os japoneses oferecem este e muito mais para seus clientes, desde visitas periódicas, até ajuda para configurar alguma coisa no computador entre muitas outras coisas.

O grande problema de todos técnicos em informática é que eles trabalhamos de forma autônoma e precisam divulgar seu serviço e adquirir confiança da clientela, afinal estão trabalhando muitas vezes com dados importantes.  Deixar de ser um simples técnico e se tornar um consultor. Deixar de ser um simples analista de sistema para virar um analista de negócios e da informação, parece ser um ótimo negócio.

Como diz o Prof. Márcio Brasil, “Onde há um computador, existe no mínimo um problema a ser resolvido.

Uma ideia de sucesso

De porta em porta, empreendedor alcançou o sucesso por meio dos mini lanches delivery

Que ideias inovadoras não surgem da noite para o dia todos nós sabemos. Para um negócio dar certo, tem que se ter planejamento, estratégia e, sobretudo, qualidade no produto e/ou serviço que se está oferecendo ao mercado. Mesmo assim, para alcançar o sucesso no negócio, levam-se meses e, muitas vezes, anos de persistência. Mas é de algum lugar que se tem que começar, mesmo que para isso você tenha que largar tudo para trás e dar início a uma nova atividade em um segmento completamente diferente do que estava acostumado. Esse é o caso do empresário Luis Carlos Fernandes Alves, que largou uma carreira de 22 anos no mercado financeiro para se tornar diretor e proprietário da Ki Doguinho, no Rio de Janeiro.

Especializada em mini sanduíches, a empresa surgiu em 2005, no bairro do Botafogo, com o objetivo de atender o segmento de festas infantis. “A ideia a princípio era atender a necessidade dos pais de encontrar algo prático, leve e gostoso para realizar as festas de seus filhos. Hoje, atendemos diversos tipos de festas como: eventos, shows, casamentos, reuniões de amigos, entre outros“, conta Alves.

Luis Carlos Fernandes Alves, fundador da Ki DoguinhoDesde o início, nossa principal propaganda foi o boca a boca; além de aumentar a confiança dos clientes, também comprovou nossa qualidade e praticidade

Luis Carlos Fernandes Alves, fundador da Ki Doguinho

SUCESSO

Mas até conquistar o sucesso, o trabalho do diretor da Ki Doguinho começou com muito “bate perna” entre os prédios da zona sul e centro do Rio de Janeiro. De porta em porta, o empreendedor levava os mini lanches para degustação e depois deixava o seu telefone para encomendas. Alves, que é gaúcho, conta ainda que conheceu esse sistema em Santa Catarina e, quando começou a morar no Rio, não viu esse tipo de negócio no mercado e aproveitou o nicho.

Kidoguinho Delivery

A ideia de fazer mini lanches delivery deu tão certo que o faturamento da empresa hoje é 300% maior em relação à 2006; e de seis colaboradores quando a empresa abriu, após seis anos, já contam com 56. Além disso, a Ki Doguinho tem capacidade de produzir aproximadamente 15 mil salgados/hora. Para mensurar ainda esse rápido crescimento, no primeiro mês de funcionamento a empresa vendeu 1 mil mini sanduíches, no terceiro mês 16 mil e hoje já são feitos cerca de 20 mil salgados e doces por hora.

Alves acredita que esse reconhecimento do mercado foi alcançado por meio da dedicação e principalmente pela preservação da qualidade do seu produto. “Desde o início, nossa principal propaganda foi o boca-a-boca; além de aumentar a confiança dos clientes, também comprovou nossa qualidade e praticidade“, confia.

O público alvo da empresa são mulheres e homens, de 25 a 45 anos, com filhos ou não, e que gostam de festejar em casa, no trabalho ou na escola, de uma maneira prática e sem preocupações.

DIFERENCIAL

De acordo com Luis Carlos Fernandes Alves, além de oferecerem mini sanduíches de diversos sabores, tortas e docinhos, o grande diferencial da Ki Doguinho frente aos demais concorrentes está primeiro na massa, pois é uma receita da sua família, em segundo por ser um produto prático pelo seu tamanho e serem entregues quentinhos, prontos para o consumo. “Nossos produtos não são fritos nem gordurosos. Possuem qualidade, praticidade e chegam quentinhos. É barato e acessível. Tudo isso feito com funcionários qualificados e equipamentos de excelente qualidade“, completa.

Além disso, se o pedido do cliente chegar frio, a empresa entrega novos lanches. Possuem Kits de Lanches prontos para festas e eventos na escola, modernos equipamentos industriais, tecnologia e sistema de informação modernos, mão-de-obra especializada e contam ainda com auxiliares para servir nos eventos.

E depois de todo esse sucesso, o objetivo do diretor do Ki Doguinho não é parar por aí. O empreendedor pretende ainda esse ano abrir vendas na praia e a abertura da loja online. Sem contar que para os próximos anos o objetivo é abrir filias nas zonas oeste, norte e Baixada Fluminense do Rio de Janeiro, em Niterói e logo após a consolidação do mercado carioca, ir para São Paulo, Belo Horizonte e Brasília. “Tudo isto até 2014“, promete.

KI DOGUINHO EM NÚMEROS

  • A Ki Doguinho possui seis anos no mercado carioca
  • Para a abertura da empresa, foram investidos R$75.000,00
  • Atualmente, a empresa fatura 300% a mais em relação à 2006
  • Quando abriu, a Ki Doguinho contava com seis colaboradores, hoje conta com uma equipe de 56 pessoas

FILANTROPIA

Engajada em ajudar instituições filantrópicas, a Ki Doguinho conta com parceiros como o Pró Criança e a União das Operárias de Jesus, oferecendo lanches às crianças atendidas nos projetos, apoiando peças de teatro, entre várias outras ações.

 

Fonte: Revista Gestão e Negócios

Como iniciar um negócio de recarga de cartuchos

Recarga de cartuchos de impressora jato de tintaHá muitos nichos para se trabalhar com tecnologia e hoje as empresas de serviços de informática são indispensávei. Pensar diferente pode levar a uma excelente oportunidade onde os outros não estão olhando. Um nicho que pode proporcionar uma excelente oportunidade para se iniciar um negócio de recarga de tinta e toner.

Este tipo de negócio oferece aos clientes a capacidade de reabastecer seus cartuchos e toners por uma fração do custo que seria necessário para compra-los novos. A empresa também fornece suprimentos aos clientes, incluindo seringas, agulhas, velas, fitas de alumínio, limpadores de mãos, e de kits faça você mesmo para recarga de cartuchos de tinta vazios.

Recarga de Tinta e toner – Visão Geral dos Negócios

Muitos dos produtos mencionados anteriormente são fáceis de aprender a usar. Cartuchos de tinta exigem ferramentas ligeiramente diferentes. Devido a isso, alguns podem exigir o uso de agulhas curtas ou longas, enquanto outros cartuchos pode usar seringas de 10 ml e 20 ml. Às vezes, uma combinação de ambos é necessária. Plugues e fita de alumínio permitem que um cartucho seja preenchido e selado como novo. O aspirador de mão é um item obrigatório, além de produtos específicos para lavar as tintas.

O serviço de encher os cartuchos de tinta usados e prepará-los para o re-uso, tanto em casos individuais ou grandes quantidades, é um serviço que clientes residenciais e empresas locais sempre precisam. Se uma empresa de recarga de tinta e toner oferecerem o serviço a uma taxa fixa semanal ou mensal , há uma boa chance de que muitas empresas pagarão pela conveniência. Reciclagem de cartuchos antigos também podem fornecer uma outra oportunidade, já que os cartuchos podem ser preenchidos, mantidos em estoque, e vendido para outro cliente que ainda usa essa velha impressora.

Toner Refil Equipamentos e Suprimentos

Não é necessário comprar um monte de equipamentos caros para abrir um negócio de recarga de tinta e toner. Para além das coisas óbvias que todas as empresas de varejo precisam, como uma caixa registadora e ponto comercial, para esse tipo específico de negócio das agulhas, seringas, fitas, velas, limpeza de mão, kits, e os cartuchos são o que mais as pessoas precisam. Se houver retirada e entrega grátis, será necessário um veículo.

O que é Delivery

Entregador de Leite

A tele entrega ou entrega em domicílio, também conhecida pela palavra em inglês delivery, é o serviço de entrega de materiais, bens, serviços ou produtos a um determinado local (residência, comércio, indústria etc.) pedidos por algum meio de comunicação como telefone ou internet pelo cliente ou consumidor.