Sistema de Delivery na Internet

Cada vez mais a internet nos proporciona uma grande variedade de formas de uso, disponibilizando programas, hoje chamados de aplicativos, jogos, discos virtuais e muitas outras ferramentas para quase qualquer tipo de uso. Alguns muito úteis outros duvidosos, alguns muito caros e outros 100% grátis. É um novo mundo a ser descoberto.

E o que é Pedidor?

O Pedidor é um Sistema de Delivery para qualquer tipo de estabelecimento ou empreendedor que faz entregas em domicílio e deseja alavancar seu negócio localmente. É bem simples: Se você recebe pedidos por telefone, entrega em domicílio e recebe no ato da entrega, provavelmente o Pedidor será um grande aliado em suas vendas.

Sem complicação você ganha um perfil e uma página para divulgar os produtos, exemplo: www.pedidor.com/nomedasuaempresa. Dai em diante basta configurar como o sistema deve funcionar.

O Pedidor foi projetado para os mais diversos seguimentos, segue uma pequena relação:

  • Farmácias
  • Pet Shops
  • Pizzarias
  • Restaurantes
  • Lanchonetes
  • Confeitarias
  • Casas de Sushi
  • Pequenos Mercados
  • Entrega de Água
  • Entrega de Gás
  • Revendedoras porta a porta
  • Floriculturas
  • Aluguel de brinquedos
  • Congelados
  • Locadoras e muito, muito mais

Se você é um empreendedor e deseja começar seu negócio com poucos recursos o Pedidor é o parceiro ideal, pois você não gasta absolutamente nada para montar sua loja, não paga hospedagem, não paga pela divulgação e não paga mensalidades. O único custo na utilização do Pedidor é uma pequena comissão que nunca passará de 5% e pode chegar a apenas 1% do valor de cada pedido. Ou seja, se você aceitar um pedido de R$ 10,00 pagando uma comissão de 1%, o Pedidor receberá 10 centavos e nada mais. O Pedidor funciona semelhante a um celular pré-pago, você adiciona créditos e acompanha os débitos toda vez que um pedido é aceito.

Visite nossa Pizzaria  de Exemplo: http://pedidor.com/pizzaria-exemplo e veja como o Pedidor pode lhe ajudar.

Serviços profissionais em informática doméstica

Técnico de manutenção de computador em domicílioA ideia de chamar um Técnico de Informática Delivery parece até simples, mas será que dá para viver disso? O serviço em domicílio chega definitivamente ao mercado de luxo: tudo em nome da comodidade dos clientes vips. Tudo começou com as pizzas, depois vieram remédios, sanduíches, refeições variadas, livros, CDs… até chegar ao estágio atual de sofisticação do serviço de entrega em domicílio, também conhecido por delivery.

Acreditamos que sim. Pelo menos teoricamente, qualquer tipo de serviço pode ser prestado no domicílio do cliente. Obviamente não é um tipo de serviço barato, porque atendimento “vip” custa dinheiro, certo?

Acreditamos que haja aí um bom mercado à ser explorado, mas no nosso entendimento, aquele que vai prestar esse serviço precisa se preparar e não apenas tecnicamente, mas em outras áreas também como boa educação, boa saúde e apresentação, bom senso, se possível fluência em outras línguas, etc.

Isso talvez seja novidade aqui no Brasil, mas desde meados dos anos 90 os japoneses oferecem este e muito mais para seus clientes, desde visitas periódicas, até ajuda para configurar alguma coisa no computador entre muitas outras coisas.

O grande problema de todos técnicos em informática é que eles trabalhamos de forma autônoma e precisam divulgar seu serviço e adquirir confiança da clientela, afinal estão trabalhando muitas vezes com dados importantes.  Deixar de ser um simples técnico e se tornar um consultor. Deixar de ser um simples analista de sistema para virar um analista de negócios e da informação, parece ser um ótimo negócio.

Como diz o Prof. Márcio Brasil, “Onde há um computador, existe no mínimo um problema a ser resolvido.

“Delivery Week” – Para impulsionar as entregas em domicílio em São Paulo, 150 restaurantes farão entregas sem taxas

Depois da Restaurant Week, em que menus completos são vendidos com desconto, 150 restaurantes da capital paulista apostam na Semana do Delivery para impulsionar as entregas em domicílio.

De 25 deste mês a 1º de julho, os estabelecimentos não vão cobrar taxa de entrega e alguns oferecerão abatimento de até 57% nos preços dos pratos. As promoções são para pedidos pelo site.

A taxa média de entrega de refeições na cidade é de R$ 4,90, e o gasto médio fica em R$ 53 por pedido. Com a promoção, os organizadores calculam dobrar as solicitações on-line para 40 mil na semana, ou R$ 2 milhões.

“O valor das taxas é apontado pelo consumidor como principal barreira a que ele experimente o delivery”, diz Felipe Fioravante, presidente do iFood, site que agrega pedidos de entrega de 900 restaurantes no país –dos quais 300 em São Paulo– e que criou a promoção.

Na avaliação de Fioravante, os perfis de renda e de consumo da capital paulista possibilitam que os pedidos on-line no iFood –que ganha comissão de 10% sobre o valor de cada um– quadrupliquem em três anos, para cerca de 300 mil por mês.

Para Tatiana Lopes, gerente de delivery da rede de lanchonetes The Fifties, o maior entrave à expansão do serviço é a falta de conhecimento dos consumidores.”Muitos não sabem quais restaurantes oferecem entrega.”

Rodrigo Duarte, sócio do Bar do Alemão, diz acreditar que, independentemente do aumento de vendas, a vantagem da Semana do Delivery irá popularizar os pedidos via internet. “Eles agilizam a preparação dos pratos, pois chegam direto a uma impressora na nossa cozinha.”

Entrega em domicílio ou a domicílio?

As expressões “entrega em domicílio” e “entrega a domicílio” são muito recorrentes em restaurantes, nas propagandas televisivas, nos outdoors, nos folders, nos panfletos, nos catálogos, na fala, etc.

Convivem juntas sem problemas maiores porque são entendidas da mesma forma, com um mesmo sentido.

No entanto, quando falamos de gramática normativa, temos que ter cuidado, pois a forma “a domicílio” não é aceita. Por quê? A regra estabelece que essa última locução adverbial deve ser usada nos casos de verbos que indicam movimento, como: levar, enviar, trazer, ir, conduzir, dirigir-se.

Portanto, “A loja entregou meu sofá a casa” não está correto.

Já a locução adverbial “em domicílio” é usada com os verbos sem noção de movimento: entregar, dar, cortar, fazer.

A dúvida surge com o verbo “entregar”: não indicaria movimento?
De acordo com a gramática purista não, uma vez que quem entrega, entrega algo em algum lugar.

Porém, há aqueles que afirmam que esse verbo indica sim movimento, pois quem entrega se desloca de um lugar para outro.

Contudo, obedecendo às normas gramaticais, devemos usar “entrega em domicílio”, nos atentando ao fato de que a finalidade é que vale: a entrega será feita no (em+o) domicílio de uma pessoa.

Veja alguns exemplos com “a domicílio” (= a casa)

  1. Não precisamos nos preocupar, eles trazem a pizza a domicílio.
  2. Esta entrega deverá ser conduzida a domicílio.
  3. Dirigiu-se a domicílio para cumprir sua obrigação.

Agora observe exemplos com “em domicílio

  1. Fazem-se unhas em domicílio.
  2. Entregas são feitas em domicílio.
  3. Corta-se cabelo em domicílio.
  4. Dão-se aulas de violão em domicílio.

O que é Delivery

Entregador de Leite

A tele entrega ou entrega em domicílio, também conhecida pela palavra em inglês delivery, é o serviço de entrega de materiais, bens, serviços ou produtos a um determinado local (residência, comércio, indústria etc.) pedidos por algum meio de comunicação como telefone ou internet pelo cliente ou consumidor.