Oficina Delivery: Serviço proporciona comodidade aos clientes – Atendimento é feito na garagem dos prédios, casas e escritórios – Revisão Geral com check up de 40 itens do carro

Com três meses de existência, a Oficina Delivery foi idealizada pelos sócios Iran Queiroz e Miguel Saraiva, ambos engenheiros mecânicos, com a intenção de proporcionar comodidade aos clientes, já que atende na garagem dos prédios, casas e escritórios, deixando o espaço físico de lado, sem cobrar pelo deslocamento.

“Nossa ideia é que enquanto a pessoa esteja trabalhando, possamos cuidar do seu carro durante a semana, e no fim de semana, ela possa curtir o seu veículo, sem precisar ir a uma oficina, que para muitos não é a coisa mais agradável”, comentou Iran Queiroz, sócio-proprietário da OD, que fez uma ampla pesquisa de mercado sobre o ramo e decidiu por investir na única oficina com esta proposta no Estado.

Como funciona

– O atendimento é feito por um engenheiro mecânico e um mecânico, ambos fardados, em um carro equipado com todo tipo de aparelhagem e ferramentas para auxílio automotivo, totalmente adaptado, com armários e compartimentos apropriados.

O cliente liga, marca com dois dias de antecedência, informando o tipo de serviço que necessita e fornece dados sobre a marca do veículo, motorização, quilometragem, ano e envia por e-mail para a empresa, recebendo em seguida o orçamento. Agenda horário, dia e local.

“Foi uma aposta certa, todos os nossos clientes elogiam o serviço, já que deixamos tudo limpo, como encontramos. É bom deixar o mito de que oficina é sinônimo de sujeira e de graxa, provamos que não é bem assim”, destacou Iran.

Serviços

– Revisão Geral com check up de 40 itens, sistema de direção, carroceria, partida, freio, suspensão, amortecedores, faróis, lâmpadas, troca de óleo e de filtros, troca de filtros de óleo, ar e combustível. Higienização de ar-condicionado, troca de pastilha, revisão de freio, rodízio de pneus, calibragem.

Dependendo do serviço solicitado, o tempo de atendimento pode ser de 2 horas. Iran alerta que por Lei não se pode consertar carro em via pública, por esse motivo e por questão de segurança, a pessoa pode agendar na garagem do apartamento, casa ou escritório, em horário comercial.

Segundo Josiel Ribeiro, mecânico da OD, o desafio é o novo. “Na oficina esperamos o carro chegar, aqui não, a oficina vai até o carro”, disse, lembrando que o seu trabalho tem a mesma qualidade dentro ou fora de uma estrutura fechada. “Nosso serviço facilita a vida do outro, na correria do dia a dia, acredito que seja a melhor opção de cuidar do carro”.

Preços

– Revisão Geral com check up de 40 itens, a partir de R$ 290, incluindo o serviço. Higienização do ar-condicionado, com troca do filtro da cabine, por R$ 120. Troca de disco de freio e pastilha, incluindo o material, a partir de R$350,00. “Depois que atendemos um carro, ele fica no nosso cadastro e acompanhamos todo seu histórico de serviços necessários”, disse Iran, que tem intenção de ampliar o negócio.

Atendimento: segunda a sexta-feira.
Horário: das 8h às 18 horas.
Telefone: (71) 3488-0988
Forma de pagamento: À vista ou até 2x no cartão de crédito

Delivery de picolé – A empresa Diletto lança serviço inédito no setor

 

Começou a funcionar o Diletto Delivery, mais uma novidade da empresa para atender e se aproximar de seus clientes.

O Diletto Delivery foi criado a partir de pesquisas realizadas com seus consumidores que declararam que adorariam levar os picolés para casa ou escritório sem causar o derretimento do produto. Uma embalagem de isopor com 6 picolés e gelo seco, conserva o produto em temperatura ideal, garantindo a qualidade já conhecida da marca.

A princípio, o serviço atenderá somente a cidade de São Paulo de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30. Outra novidade, é que além dos doze sabores presentes em todos os pontos de venda, estão disponíveis também o Framboesa (já fora de linha) e as edições especiais.

O pagamento pode ser efetuado com dinheiro, cartões débito e crédito Mastercard, Visa e Amex. A empresa disponibiliza também condições especiais para pedidos acima de 60 picolés.

Como montar um restaurante de comida japonesa

Sushi em casaSem dúvidas, os restaurantes de comida japonesa conquistaram o gosto dos   brasileiros e ter um restaurante de comida oriental pode representar uma oportunidade de ganhos.

Mas é claro que para todo restaurante é crucial antes realizar pesquisa de mercado e outros mecanismos de estudos prévios,principalmente quando se trata de comidade oriental que constitui trabalhar com clientes mais arrojados.

Mercado de um restaurante de comida japonesa

O mercado para restaurantes de comida japonesa constitui locais que as pessoas vão para se divertir e realizar um lazer diferente com sua família. Portanto, antes de tudo, é necessário avaliar se o local ou o restaurante estão preparados para oferecer a comida japonesa.

Avaliar se a localização em que se deseja montar um restaurante de comida japonesaencontrará mercado que realmente frequentará o restaurante antes de iniciar as operações é de fundamental importância. Para isso é necessário realizar uma pesquisa de mercado que considere clientes, concorrência e localização.

Clientes de um restaurante de comida japonesa

Pesquisar clientes não é nada fácil exige dos pesquisadores paciência, simpatia e outras características.

A primeira proposta em pesquisar os clientes locais exige que se consiga desses clientes informações como a necessidade e a vontade de frequentar um restaurante de comida japonesa.

Essa etapa constitui o que chamamos de teste do conceito que realiza perguntas como:

  • Você frequentaria o restaurante: sempre, às vezes, raramente ou nunca?

Não exagere no número de questões, pois as pessoas estão com pressa e não responderão.

É necessário lembrar que alguns entrevistados irão mentir só para agradar os entrevistadores, portanto, faça com que as fichas de respostas sejam respondidas e logo colocadas em uma urna, ou seja, voto secreto.

Nesse período de pesquisa, organize um stand com nome e logomarca do restaurante de comida japonesa e ainda alguns sushis prontos para provas, sem cobrar nada, é claro. Observe se as pessoas realmente estão se deliciando  com os sushis.

Não terceirize essa pesquisa: é o empresário que deve sentir se o seu produto está sendo aceito e a percepção dos consumidores.

Pelas pesquisas realizadas, avalie qual seu público-alvo e ainda pesquise em órgãos competentes quais as características dos clientes em um raio de 1 km (como renda per capita, classe social e outros).

O próximo passo é analisar os hábitos dos clientes, a frequência no restaurante de comida japonesa em quais dias da semana, interesse por lançamentos, etc. Essas informações serão tiradas das pesquisas já realizadas e serão agora analisadas.

O perfil sobre renda per capita e classe social constituem pesquisas de dados secundários e podem ser extraídas de orgãos como o IBGE, IPEA e SEADE.

Localização de um restaurante de comida japonesa

Se aqueles que são considerados o público-alvo não aceitam bem a ideia arrojada de ter na vizinhança um restaurante de comida japonesa, então mude de localização, pois o restaurante só obterá sucesso com a aceitação do público-alvo. Instalar um resturante constitui custos altos, portanto, não se pode errar na localização.

Digamos que o desejo do empresário e sócios seja modificar a cultura através do marketing. Essa jogada é arriscada: o marketing serve para encantar e tornar a bandeira conhecida e não para modificar hábitos.

Concorrência de um resturante de comida japonesa

Supondo que a localização encontrada para montar o restaurante de comida japonesa tem previsão de que seja frequentada, mesmo que em longo prazo, e que há possiblidades de clientela. Então o próximo passo é conhecer os concorrentes, o que eles oferecem? Comida japonesa? Outros cardápios?

Se não for comida japonesa então ótimo, pois o restaurante estará oferecendo algo que só ele tem e as chances de ser frequentado por aqueles que optaram por um cardápio oriental crescerá.

O restaurante tem concorrentes que oferecem também comida oriental? Então pesquise do concorrente qual o cardápio, quais os pontos fortes e fracos, qual a apesentação do estabelecimento e qual as formas de pagamento desse concorrente.

E prepare-se para um Marketing de Ataque.

Estrutura de um restaurante de comida japonesa

Um restaurante de comida japonesa deve ter uma estrutura com cozinha bem aparelhada, um espaço para recepção dos clientes na entrada e depois vem o espaço com mesas e cadeiras.

Alguns restaurantes ofercem os pratos que são preparados nas mesas dos clientes, outros que oferecem salas privativas com tatumes e mesas próximas ao chão, como é costume no Japão. Este tipo de estrutura com salas reservadas para famílias ou casais tornam a estruturação mais cara, mas se os empresários puderam investir em salas privativas, isso representará um diferencial e as salas serão 5 ou 10% mais caras, cobradas pela taxa de reserva.

Tanto as salas privativas quanto o restaurante como um todo devem estar bem decorados ao estilo japonês com quadros, pequenos mimos como bonecos tipicamente japoneses em estantes, etc.

Nas mesas, tenham objetos como luminárias japonesas: torne a experiência de frequentar seurestaurante de comida japonesa memorável.

Por que investir na decoração e estrutura? Porque os clientes farão propaganda boca a boca para amigos e familiares, falando que o restaurante é agradável, tem qualidade, higiene, etc.

Cardápio de um restaurante de comida japonesa

A comida japonesa é constituída de pratos como peixes, frutos do mar, sushis, bolinhos e outros. Esteja sempre atento ás novidades da culinária japonesa e treine o pessoal para que cada vez mais possuam habilidades no preparo de comidas japonesas.

Avalie o cardápio oferecido no restaurante de comida japonesa, pois alguns pratos quase não saem e não têm muita aceitação. Portanto, pesquise quais os pratos que saem mais, que fazem mais sucesso, que têm mais pedidos e capriche nesses pratos.

Avaliar o cardápio é útil para decidir o que comprar mais realizando uma boa gestão de estoques no restaurante de comida japonesa.

Fornecedores do restaurante de comida japonesa

Os fornecedores irão fornecer desde mesas até guardanapos. Pesquise fornecedores que têm os melhores prazos, preços e condições de pagamento.

Mas o fator crítico de sucesso para o restaurante de comida japonesa são os forncedores de peixes, frutos do mar e outros ingredientes, pois os alimentos devem estar fresquinhos, higiênicos e chegar no momento em que os cozinheiros necessitam.

Gestão de fornecedores em um restaurante de comida japonesa

Esse assunto merece atenção,pois fornecimento de materiais de qualidade dão como resultado pratos de qualidade e em consequência a casa cheia de clientes.

Portanto,não erre tenha um sistema com três bons fornecedores para um mesmo ingrediente,pois se um falhar outro pode vir no lugar no momento necessário.

Escolha os fornecedores pela qualidade de seus produtos ,condições de pagamento,condições logísticas e outros.

Tenha um relacionamento integrado com seus clientes através do uso de sistemas como o ERP,esses sistemas avisam para os fornecedores o momento em que o estoque do restaurante necessita reposição e assim o fornecedor sem entrar em contato com orestaurante já providencia,sabendo o que fazer.

Alguns sistemas de integração são tão bons que vêm com a lista negra de forncedores em que não se pode confiar.

Automação de um restaurante de comida japonesa

Automatize seu restaurante de comida japonesa com software de contabilidade, finanças, estoques, controle de caixa efiscal  por um preço em conta (alguns sistemas já vêm com todos essses requisitos integrados).

Conte com um sistema de reservas de mesas informatizado e, além da ajuda  da informática, os sistemas de reserva devem ter profissionais competentes e que atendem bem os clientes para que não percam as ligações telefônicas e que agendem tudo direito, conforme a política do restaurante.

Pessoal de um restaurante de comida japonesa

Tenha um pessoal experiente na culinária japonesa, que realize um bom atendimento e ainda esteja sempre pronto a aprender; que aceite disciplina  e treinamento quanto a novos processos.

Treine sempre seu pessoal com bons hábitos de atendimento, saúde, segurança e higiene para o seu restaurante de comida japonesa.

Investimentos de um restaurante de comida japonesa

Os empresários investirão em imóvel de compra ou locação, adequação da estrutura, decoração e outros. Além disso, para o restaurante de comida japonesa são necessários equipamentos para cozinha que acompanhem a tecnologia para utensílios de preparo de alimentos.

Os gastos gerais serão na montagem de uma cozinha industrial, eem esquecer os gastos com divulgação e marketing. Despesas com material de escritórios, limpeza para cozinha e banheiros, entre outros, também estão inclusos. Além disso, perdas e desperdícios também devem ser considerados, assim como cancelamentos.

A gestão de custos deve considerar investimentos, custos fixos e variáveis e ainda gastos com desperdícios. Portanto, treine seu pessoal a não desperdiçar com excesso de ingredientes na elaboração e testes dos pratos que acabam indo para o lixo. Cuidado na utilização de água e energia, uso de gás e outros.

Para montar um restaurante de comida japonesa é necessário avaliar todos o processos, desde aquisição do local ideal até a gestão do restaurante, considerando custos e lucros, e ainda com  a preocupação de fidelizar o cliente, encantando-o sempre.

Fonte: NovoNegócio