Uma ideia de sucesso

De porta em porta, empreendedor alcançou o sucesso por meio dos mini lanches delivery

Que ideias inovadoras não surgem da noite para o dia todos nós sabemos. Para um negócio dar certo, tem que se ter planejamento, estratégia e, sobretudo, qualidade no produto e/ou serviço que se está oferecendo ao mercado. Mesmo assim, para alcançar o sucesso no negócio, levam-se meses e, muitas vezes, anos de persistência. Mas é de algum lugar que se tem que começar, mesmo que para isso você tenha que largar tudo para trás e dar início a uma nova atividade em um segmento completamente diferente do que estava acostumado. Esse é o caso do empresário Luis Carlos Fernandes Alves, que largou uma carreira de 22 anos no mercado financeiro para se tornar diretor e proprietário da Ki Doguinho, no Rio de Janeiro.

Especializada em mini sanduíches, a empresa surgiu em 2005, no bairro do Botafogo, com o objetivo de atender o segmento de festas infantis. “A ideia a princípio era atender a necessidade dos pais de encontrar algo prático, leve e gostoso para realizar as festas de seus filhos. Hoje, atendemos diversos tipos de festas como: eventos, shows, casamentos, reuniões de amigos, entre outros“, conta Alves.

Luis Carlos Fernandes Alves, fundador da Ki DoguinhoDesde o início, nossa principal propaganda foi o boca a boca; além de aumentar a confiança dos clientes, também comprovou nossa qualidade e praticidade

Luis Carlos Fernandes Alves, fundador da Ki Doguinho

SUCESSO

Mas até conquistar o sucesso, o trabalho do diretor da Ki Doguinho começou com muito “bate perna” entre os prédios da zona sul e centro do Rio de Janeiro. De porta em porta, o empreendedor levava os mini lanches para degustação e depois deixava o seu telefone para encomendas. Alves, que é gaúcho, conta ainda que conheceu esse sistema em Santa Catarina e, quando começou a morar no Rio, não viu esse tipo de negócio no mercado e aproveitou o nicho.

Kidoguinho Delivery

A ideia de fazer mini lanches delivery deu tão certo que o faturamento da empresa hoje é 300% maior em relação à 2006; e de seis colaboradores quando a empresa abriu, após seis anos, já contam com 56. Além disso, a Ki Doguinho tem capacidade de produzir aproximadamente 15 mil salgados/hora. Para mensurar ainda esse rápido crescimento, no primeiro mês de funcionamento a empresa vendeu 1 mil mini sanduíches, no terceiro mês 16 mil e hoje já são feitos cerca de 20 mil salgados e doces por hora.

Alves acredita que esse reconhecimento do mercado foi alcançado por meio da dedicação e principalmente pela preservação da qualidade do seu produto. “Desde o início, nossa principal propaganda foi o boca-a-boca; além de aumentar a confiança dos clientes, também comprovou nossa qualidade e praticidade“, confia.

O público alvo da empresa são mulheres e homens, de 25 a 45 anos, com filhos ou não, e que gostam de festejar em casa, no trabalho ou na escola, de uma maneira prática e sem preocupações.

DIFERENCIAL

De acordo com Luis Carlos Fernandes Alves, além de oferecerem mini sanduíches de diversos sabores, tortas e docinhos, o grande diferencial da Ki Doguinho frente aos demais concorrentes está primeiro na massa, pois é uma receita da sua família, em segundo por ser um produto prático pelo seu tamanho e serem entregues quentinhos, prontos para o consumo. “Nossos produtos não são fritos nem gordurosos. Possuem qualidade, praticidade e chegam quentinhos. É barato e acessível. Tudo isso feito com funcionários qualificados e equipamentos de excelente qualidade“, completa.

Além disso, se o pedido do cliente chegar frio, a empresa entrega novos lanches. Possuem Kits de Lanches prontos para festas e eventos na escola, modernos equipamentos industriais, tecnologia e sistema de informação modernos, mão-de-obra especializada e contam ainda com auxiliares para servir nos eventos.

E depois de todo esse sucesso, o objetivo do diretor do Ki Doguinho não é parar por aí. O empreendedor pretende ainda esse ano abrir vendas na praia e a abertura da loja online. Sem contar que para os próximos anos o objetivo é abrir filias nas zonas oeste, norte e Baixada Fluminense do Rio de Janeiro, em Niterói e logo após a consolidação do mercado carioca, ir para São Paulo, Belo Horizonte e Brasília. “Tudo isto até 2014“, promete.

KI DOGUINHO EM NÚMEROS

  • A Ki Doguinho possui seis anos no mercado carioca
  • Para a abertura da empresa, foram investidos R$75.000,00
  • Atualmente, a empresa fatura 300% a mais em relação à 2006
  • Quando abriu, a Ki Doguinho contava com seis colaboradores, hoje conta com uma equipe de 56 pessoas

FILANTROPIA

Engajada em ajudar instituições filantrópicas, a Ki Doguinho conta com parceiros como o Pró Criança e a União das Operárias de Jesus, oferecendo lanches às crianças atendidas nos projetos, apoiando peças de teatro, entre várias outras ações.

 

Fonte: Revista Gestão e Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *