Amplie as vendas com entregas em domicílio

O serviço de delivery pode ser uma boa estratégia para aumentar o faturamento e o raio de atuação da empresa, seja qual for o ramo

No começo era a pizza. Quando se falava em delivery, imediatamente pensava-se na entrega das “redondas” em domicílio. Rapidamente, o serviço chegou a outros ramos de negócio. Hoje, entrega-se de DVDs a produtos eróticos, passando por roupas, medicamentos e compras de supermercado. As comidas prontas são as campeãs dos pedidos. Há negócios focados somente no delivery, sem portas abertas para a rua, e outros que têm ponto comercial e também fazem entregas. Em qualquer um desses casos, para que o serviço traga bom retorno, é preciso alguns cuidados para implantá-lo.

Comida quentinha, sem atraso

A área de alimentação oferece uma infinidade de opções para a criação de um delivery, mas exige cuidados especiais. Primeiro, deve-se definir a região a ser atendida. “O ideal para um pequeno negócio é começar atendendo bairros próximos e de fácil acesso”, afirma Eric Cohen, professor do Ibmec do Rio de Janeiro. Gerson Pinheiro, dono do Suggus, delivery de pratos prontos, diz que, por estar em Curitiba, não enfrenta grandes problemas de trânsito e consegue atender toda a cidade. Mesmo assim, ele cobra taxas de entrega que variam de R$ 3,50 a R$ 12, conforme a distância. Segundo o empresário, um dos erros que cometeu ao iniciar o serviço, em 1998, foi embutir a taxa de entrega no valor dos pratos. “Os clientes tinham a impressão de que o meu produto era mais caro do que o da concorrência”, diz. Para que a comida chegue quente e com boa aparência na casa do cliente, Pinheiro recorreu a uma agência de marketing que o ajudou a criar embalagens especiais. “Uso potes de plástico resistente, semelhantes aos que as donas-de-casa utilizam para congelar alimentos”, diz. Os recipientes são colocados dentro de outra embalagem, feita de papelão, que por sua vez se encaixa no baú das motos, de forma que a comida não chegue revirada em seu destino.

Entregadores eficientes

A eficiência da entrega é tão importante quanto a qualidade do produto. Por isso, a escolha das pessoas que cuidarão dessa etapa é fundamental. Pinheiro conta que insistiu durante cinco anos, sem sucesso, na terceirização dos motoboys. “Como eles não trabalhavam só para mim, com frequência faziam outros serviços junto com as minhas entregas e eu recebia muitas reclamações devido à demora”, diz. Em 2003 ele decidiu contratar – com registro em carteira – motoqueiros exclusivos. A estratégia, de acordo com o empresário, resolveu a insatisfação com relação à entrega e contribuiu para o aumento nas vendas, que cresceram quase 30% desde então.

Cuidado com o cadastro de clientes

Qualquer que seja o tipo de negócio que oferece o serviço de delivery, um mecanismo fundamental para agilizar o atendimento é o cadastro. No primeiro contato do cliente, o atendente deve registrar no computador os seus dados básicos, como nome, endereço e número de telefone, para identificá-lo rapidamente da próxima vez. Só que, dependendo do ramo do negócio, o cadastro é um item que requer cautela especial. Um exemplo claro é o de qualquer negócio ligado a produtos eróticos. “Nesses casos, uma das principais exigências dos clientes que optam pela comodidade é a discrição”, afirma Patrizia Curi, sócia da Maison Z, butique erótica paulistana.

Fonte PEGN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *